Empresa rastreia aves com tecnologia

A Senecal acompanha cada lote de frangos processados na Normandia, vinculando dados de RFID a códigos de barras 2D nas embalagens de carne

Claire Swedberg

A fornecedora de aves francesa Senecal está empregando tecnologia RFID e de códigos de barras para ter uma visão da cadeia de suprimentos de suas galinhas e patos à medida que são processados, refrigerados e entregues aos varejistas, com um sistema da UBI Solutions, que consiste em tags RFID, códigos de barras e software baseado em nuvem.

A pequena empresa francesa fornece carne de frango e pato de alta qualidade, que é processada em sua instalação na Normandia e depois vendida em toda a França. A Senecal entrou em contato com a UBI Solutions para adquirir um sistema baseado em RFID há três anos, para que pudesse monitorar os movimentos de cada lote de aves em suas instalações, diz Renaud Munier, diretor de desenvolvimento de negócios da UBI Solutions.

Criação de frangos da Senecal

“A Senecal queria ter a capacidade de definir a quantidade de galinhas que chegam na instalação – o número processado, a previsão e as verificações de qualidade”, diz Munier. Assim, a implantação ocorreu em diferentes estágios.

Ao coletar dados no centro de processamento e fornecer um link de código de barras 2D para esses dados na embalagem, a empresa pode permitir que os clientes digitalizem a embalagem por meio de um smartphone para descobrir quando um frango específico foi abatido, qual fazenda veio e outros detalhes.

O revendedor pode usar o mesmo aplicativo para visualizar o número do lote e a data de qualquer frango. A terceira fase envolverá a expansão do sistema para rastrear galinhas vivas logo após o nascimento dos filhotes, usando códigos de barras que podem ser escaneados para criar um registro que será vinculado aos dados RFID.

Aves de qualidade são criadas e vendidas em cerca de 90 dias, explica Munier, e gerenciar registros relacionados a cada animal pode ser uma tarefa árdua, já que hoje é um esforço manual. Diariamente, a unidade de processamento se prepara para a produção do dia seguinte, coletando registros manuais de fornecedores.

Renaud Munier, da UBI Solutions

Entretanto, esse processo não tinha clareza e a empresa queria fazer mais para entender a história relacionada a cada frango, além de compartilhar essas informações com seus clientes. Com a RFID, a Senecal automatizou a coleta de dados que pode acessar em seu servidor.

A infraestrutura do leitor consiste em três leitores fixos Impinj, 12 leitores de mão M3 Mobile Orange e várias impressoras de etiquetas Zebra. A empresa de aves selecionou uma etiqueta magnética em metal que poderia receber e enviar transmissões de RF ao redor do ambiente metálico da instalação de processamento sem ser interrompida por produtos magnéticos.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui