Solução mantém distanciamento social em piscinas

Tecnologia BLE garante distanciamento entre pessoas com base em sistema de localização em tempo real desenvolvido para esportes, escritórios e fábricas

Claire Swedberg

A empresa de tecnologia esportiva Nothingbutnet (NBN) lançou uma solução de distanciamento social que se baseia no sistema de localização em tempo real (RTLS) que já oferece para basquete (NBN23) e esportes aquáticos (Nagi Smartpool). A nova solução Soocial da empresa captura dados e fornece conteúdo sobre a localização de nadadores ou outros atletas, bem como indivíduos em escritórios ou fábricas, para aumentar a segurança durante a crise do Covid-19. Todas as soluções RTLS da NBN aproveitam os dados de localização dos sensores e tags Quuppa Bluetooth Low Energy (BLE) para identificar onde os indivíduos estão localizados e (no caso do Soocial) quando estão em contato próximo e por quanto tempo.

A Dean & Barbara White Southlake YMCA, uma filial da Crossroads YMCA localizada em Crown Point, nos Estados Unidos, já está usando a solução Nagi da NBN para capturar dados de localização sobre nadadores. Os dados coletados podem ajudar os nadadores a monitorar sua própria velocidade e outras métricas de desempenho. Ainda neste ano, a organização planeja lançar também a funcionalidade Soocial, a fim de proporcionar um nível adicional de segurança para seus usuários, com rastreamento de distanciamento social. Com sede na Espanha, a NBN foi lançada em 2014 e agora oferece três soluções: Nagi Smartpool para nadadores, NBN23 para gerenciamento de desempenho no basquete e agora Soocial para distanciamento social e rastreamento de contratos.

A solução NBN23 teve como objetivo acompanhar os movimentos dos jogadores de basquete em uma quadra, de forma a dar às equipes, jogadores e treinadores um conteúdo sobre o desempenho dos jogadores, de acordo com Ed Dvorak, gerente geral global do Nagi da NBN. Na verdade, a tecnologia foi aprovada pela National Basketball Association (NBA) para uso durante as sessões de prática. Em 2016, a solução Nagi foi lançada para o ambiente aquático para ajudar a gerenciar nadadores internacionalmente, e foi lançada nos Estados Unidos em 2019.

Com uma tag colocada na tira dos óculos de natação, pode-se acompanhar tanto o desempenho do atleta como a sua localização

Cada implantação do Nagi Smartpool consiste em um nagiTag com um transmissor Quuppa embutido usado por um nadador, jogador de basquete ou outro indivíduo, bem como nagiLocators, também com tecnologia Quuppa, instalados acima e ao redor de uma piscina ou quadra. Os localizadores recebem sinais das etiquetas e o sistema usa o software de servidor de posicionamento Quuppa para calcular a localização de cada etiqueta de beacon conforme ela se move em uma área. Esses dados de localização são então encaminhados para o nagiServer baseado em nuvem, onde as informações são gerenciadas e os alertas são gerados. “A Quuppa fornece precisão submétrica em tempo real”, disse Tom Ruth, VP da Quuppa para as Américas.

Desde que a NBN lançou a tecnologia Nagi para esportes aquáticos, Dvorak diz: “Ela vem crescendo desde então”. Existem duas aplicações, explica: Nagi Guard para segurança na natação e Nagi Go para monitorar o desempenho. Os atletas podem visualizar sua velocidade, bem como quantas distâncias percorrem, e gamificar essa informação comparando-a com a natação no Canal da Mancha, por exemplo. A versão de segurança oferece benefícios de seguro para os operadores, juntamente com segurança adicional, identificando automaticamente um problema com base na transmissão da etiqueta de um nadador. A solução Nagi Guard foi implantada pela primeira vez pelo clube de fitness espanhol Gofit e, desde então, a empresa se expandiu globalmente. No ano passado, a tecnologia foi introduzida nos Estados Unidos.

Um nadador que participa do sistema recebe o nagiTag e o coloca em seus googles (óculos de natação) ou touca de banho. O número de identificação exclusivo é transmitido via Bluetooth para um indivíduo específico, dependendo de suas necessidades. A tag pode ser configurada para transmitir um sinal em intervalos específicos, várias vezes a cada segundo. À medida que o nadador se move pela área, os localizadores recebem a transmissão do farol e, em seguida, encaminham essa informação, junto com os dados de localização, para o software, que então interpreta a posição do indivíduo em centímetros.

Se o indivíduo estiver nadando, os dados continuam sendo enviados; no entanto, se a etiqueta estiver totalmente submersa, a transmissão será interrompida. Essa interrupção na transmissão pode permitir que o sistema identifique um problema de segurança se a etiqueta permanecer submersa por um determinado tempo. Esse recurso de segurança é pretendido como um nível de segurança adicional ao uso de salva-vidas.

Para aqueles que usam a versão de desempenho da solução, a tecnologia pode detectar a velocidade, o ritmo, o tempo na água e o número de voltas de um nadador em tempo real enquanto ele sobe e desce nas pistas de uma piscina. Esses dados são gerenciados no software para ajudar os nadadores a ver seu desempenho. Eles podem acessar esses dados por meio de um portal ou aplicativo. Os pools exibem as informações em uma tela de 70 polegadas do site em tempo real. Dessa forma, eles podem monitorar a velocidade da volta e, assim, visualizar seu nível de desempenho.

A Dean & Barbara White Southlake YMCA foi a primeira a adotar a solução nos Estados Unidos. Com centenas de nadadores, pode oferecer a implantação da tecnologia como uma forma de atletas recreativos ou estudantes acompanharem seu próprio progresso. A tecnologia Soocial, diz Dvorak, pode se conectar a uma solução Nagi Smartpool existente para outro nível de visibilidade que pode ajudar a garantir a segurança das pessoas em uma piscina ou área de piscina durante a pandemia. Os Centers for Disease Control and Prevention encontraram poucas evidências de Covid-19 se espalhando em piscinas. Isso, em parte, pode ser devido à desinfecção que é realizada com cloro e bromo.

Algumas piscinas, no entanto, ainda procuram aumentar a segurança, proporcionando distanciamento social dentro e fora da água entre dois indivíduos, diz Dvorak. Com a solução NBN, o software analisa os dados coletados e pode emitir alertas se os indivíduos ficarem próximos uns dos outros por um longo período. Por exemplo, ele acrescenta, se os nadadores conversarem entre si por mais do que uma duração especificada (15 segundos, por exemplo), as etiquetas vestíveis acenderão automaticamente como um lembrete sutil para se separarem.

Os dados também podem ser usados ​​para rastreamento de contato se um indivíduo receber um resultado de teste positivo e relatar essa informação. Se a etiqueta da pessoa estivesse sendo rastreada, o software poderia permitir que o gerenciamento de um pool visse quem pode ter sido exposto a ela. “Fornecer distanciamento social e rastreamento de contato é uma extensão lógica para a tecnologia”, diz Ruth, para aqueles que usam as tags, localizadores e software NBN e Quuppa. “Já podemos acompanhar o que está acontecendo na área em tempo real.”

A solução da NBN compete com vários sistemas baseados em RFID ou IoT que monitoram o distanciamento social. Ruth diz que o Soocial fornece localização em tempo real completo, ao contrário de outros sistemas projetados para serem implantados rapidamente com pouca infraestrutura e menos visibilidade. Muitos desses sistemas mais passivos, acrescenta ele, “medem a distância entre duas pessoas e as alertam sobre associações tag a tag ou ponto a ponto”. Esses dados são armazenados em cache ou enviados para um gateway, portanto, o local do evento é desconhecido.

Aqueles sem gateways não terão dados de localização em tempo real, diz Ruth. Além do mais, acrescenta, os dados da Quuppa são altamente granulares, o que os torna mais precisos. “Um segundo desafio são os falsos positivos”, afirma ele, “especialmente se eles estiverem medindo a força do sinal”. O risco de receber muitos alertas quando os dados de localização não são altamente precisos é “um desafio que estamos mitigando, porque se as pessoas receberem muitos falsos positivos, elas começarão a ignorar a ferramenta.”

Ao contrário de muitas soluções de distanciamento social lançadas desde o início da pandemia, observa Dvorak, o sistema Nothingbutnet é destinado a vários casos de uso. “Você não traz uma tecnologia para resolver um problema e outra tecnologia para resolver outro”, afirma Ruth. Em vez disso, o sistema NBN é projetado para fornecer soluções que vão além dos aplicativos de distanciamento social e oferece localização em tempo real, com energia baixa o suficiente para permitir uma longa vida da bateria na etiqueta.

Para escritórios, o Soocial pretende permitir a captura de dados utilizados para além do distanciamento social, para efeitos de gestão do espaço. Dvorak cita estatísticas que indicam que até 30% dos funcionários podem não retornar aos escritórios após a pandemia. “Isso pode significar repensar o layout do espaço”, afirma. Como tal, o sistema pode ser empregado para entender melhor como um determinado espaço está sendo utilizado.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here