Grupo Rafik automatiza processos manuais e elimina erros

A empresa que produz 60 mil peças de vestuário por mês e que vende em lojas de cinco estados brasileiros selecionou e adotou uma solução de identificação por radiofrequência (RFID)

Edson Perin

O Grupo Rafik, que fabrica confecções na cidade de São Gabriel da Palha (ES), produzindo uma média de 60 mil peças por mês, selecionou uma solução de identificação por radiofrequência (RFID) da iTag Etiquetas Inteligentes para eliminar os erros inerentes às operações manuais das mercadorias. Agora, com RFID, a empresa automatizou processos e conseguiu ganhar eficiência e eliminar fraudes, o que levou a uma redução de custos, como explica Felipe Pelissari, CEO da companhia.

De acordo com Pelissari, antes da RFID, os processos eram manuais e geravam muitos erros em contagens e demora nos processos de abastecimento. “Foi instalado um portal em nosso CD [Centro de Distribuição] onde todas as peças são contadas e despachadas rapidamente com os pacotes lacrados”, diz. “Sendo assim eliminamos falhas humanas e, também, fraudes”. O Grupo Rafik opera em diversos estados, como Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná e São Paulo.

Assista à entrevista na íntegra:

Pelissari explica que na solução foram adotadas tags com códigos de barras e chip RFID embutido. “As tags não são reaproveitadas, porque todas as peça são distribuídas entre as lojas, o que facilita o nosso processo de balanço. Ou seja, não precisamos bipar [ler por código de barras] peça por peça e sim usar somente um leitor de chip RFID, que identifica quais são os produtos contidos na loja, incluindo informações sobre referência, tamanho e cor. Isto faz com que o balanço de estoque se torne rápido e assertivo”.

O executivo mostra que a nova solução com RFID atende aos requisitos da marca. “Trabalhamos com excelente qualidade a preços justos a todos os consumidores. Procuramos sempre sair na frente com os lançamentos de moda com nossos diversos estilistas e nossas pesquisas nacionais e internacionais”, afirma Pelissari. “Com belas campanhas em nossas lojas espalhadas por cinco estados do Brasil, além da facilidade do nosso e-commerce, com produtos que saem direto das lojas para o consumidor, os nossos clientes podem encontrar e comprar qualquer de produtos nossos”.

Coleção Outono Inverno Rafik 2020

Durante o projeto não houve grandes desafios para que as leituras de RFID ocorressem dentro do previsto. “Todos os técnicos da iTag são muito bem treinados e já deixam tudo funcionando, além de treinar os nossos operadores com rapidez e perfeição”, testemunhou Pelissari, que calculou os ganhos do sistema pelas melhorias de velocidade, redução de processos manuais e eliminação fraudes.

Felipe Pelissari

“Por enquanto estamos completamente satisfeitos com o processo implantado, que já está atendendo todas as nossas demandas”, argumentou Pelissari sobre o futuro da RFID em sua companhia, que integrou a solução de RFID ao seu ERP (sistema eletrônico de gestão empresarial).

Com RFID, “basta separar os pedidos e os alocar lacrados em nosso CD e, depois, na hora de faturar, basta fazer a leitura e emitir a nota fiscal”, esclarece. Os ganhos já atingidos com RFID, como disse Pelissari, envolveu o aumento da velocidade dos processos, o combate antifraude, eliminação de erros humanos. “Sim, isto atendeu muito as nossas expectativas”, reportou, completando que a equipe da iTag representou um auxílio total nas operações e, também, nos treinamentos. “Em caso de dúvidas, a equipe da iTag se mostrou totalmente qualificada e atenciosa”.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here