ABRFID doa 3.500 Máscaras-Escudo para hospitais do país, em um mês

Com o intuito de salvar profissionais de saúde da Covid-19 e, assim, permitir que salvem mais vidas, a associação criou uma página na web para agilizar os pedidos

Edson Perin

Não há mercado para um se não houver para todos – assim foi concebida a criação da Associação Brasileira da Indústria de Identificação por Radiofrequência (ABRFID), em 2014, entidade que se destina a representar e apoiar as empresas que atuam nos mercados brasileiros de identificação por radiofrequência (RFID) e Internet das Coisas (IoT).

Agora, em plena pandemia de coronavírus, a associação de empresas de alta tecnologia decidiu produzir e doar Máscaras-Escudo (conhecidas como Face Shields, em inglês), que são usadas sobre as máscaras N95 e que servem para proteger o rosto dos profissionais de saúde.

Como resultado de um mês de iniciativa, já foram fabricadas e doadas mais de 3.500 Máscaras-Escudo, beneficiando profissionais de mais de 70 instituições de saúde do Brasil. Entre as instituições, destacam-se hospitais renomados como o AC Camargo, as Santas Casas de São Paulo e de mais de uma dezena de cidades, Hospital Emílio Ribas e o hospital da Graacc.

Manual de uso das Máscaras-Escudo (Face Shields)

E, ainda, Hospital das Clínicas (HC), da Escola de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), HC de Campinas, Hospital São Paulo, da Universidade Federal do Estado de S. Paulo (UNIFESP), entre outros, somando-se ainda Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) e o Corpo de Bombeiros do Estado de S. Paulo.

A manufatura das máscaras e uma parte das doações estão sendo realizadas pela empresa SmartX Tags, do empresário Pedro Moreira. Ainda se somam às doações empresas da ABRFID como Acura, Activa-ID, Avery Dennison do Brasil, CCRR, Fercien – Ferrari Gestão de Ativos, HID Global, Impinj, Nepre Consulting, RFID Moura e Synergy. E, também, o Grupo Landaeta, Ipatinga (MG), que não é membro da associação e nem atua nos ramos de RFID e IoT.

Os hospitais públicos do SUS [Sistema Único de Saúde], quando solicitam da ABRFID, recebem as máscaras gratuitamente. Os pedidos de máscaras que forem feitos por hospitais privados terão seus recursos de pagamentos revertidos para a fabricação dos equipamentos de proteção gratuitos entregues aos hospitais públicos.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgados pelo Canal CNN Brasil, perto de 20% dos profissionais médicos da Itália contraíram a Covid-19 – doença provocada pelo coronavírus – e adoeceram por falta de Equipamento de Proteção Individual (EPI), como as Máscaras-Escudo, o que acelerou o colapso da estrutura de saúde italiana, um dos países mais impactados pela doença no mundo.

A intenção da associação, que organizou um grupo por Whatsapp, é proteger os profissionais de saúde. Afinal, como disse um dos associados, “não são apenas os equipamentos hospitalares que salvam vidas: os principais protagonistas são os seres humanos que sabem operá-los, ou seja, os profissionais de saúde”.

A iniciativa da ABRFID começou há um mês e em velocidade recorde com a transformação de parte da linha de produção de um de seus associados para a fabricação de Máscaras-Escudo. Em seguida, outros empresários da ABRFID foram aderindo e trazendo novas ideias, como por exemplo inserir tags de RFID nas máscaras para poder controlá-las e localizá-las automaticamente.

De acordo com a OMS, os hospitais não podem operar apenas com médicos residentes. Por isso, os profissionais mais gabaritados, experientes e mais velhos, que, por terem mais idade, são alvos do coronavírus, precisam estar no comando dos trabalhos e têm de ser protegidos.

Além dos médicos, enfermeiros, nutricionistas, dentistas e fisioterapeutas hospitalares, estão entre os profissionais de saúde os integrantes das equipes do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), do Corpo de Bombeiros, incluindo as equipes de resgate, entre outros.

Roger Davanso, presidente da ABRFID, diz que “esta iniciativa acabou fazendo com que várias empresas associadas à ABRFID reconhecessem a importância de nos unirmos em torno do combate ao coronavírus e, assim, ajudarmos a manter o sistema de saúde funcionando plenamente, em benefício de toda a população”. Segundo Davanso, “será ainda melhor quando mais empresas, inclusive de outras associações e setores da economia, aderirem a este movimento”.

De acordo com um dos associados da ABRFID, “se pudermos impedir que os médicos, enfermeiros e outros profissionais da área de saúde sejam contaminados e adoeçam por Covid-19, estaremos indiretamente ajudando a salvar mais vidas”. E completou: “os profissionais de saúde precisam estar saudáveis para salvar as vidas de outras pessoas”.

Para encomendar Máscaras-Escudo da ABRFID, preencha o formulário no site https://abrfid.org.br/abrfid-contra-a-covid-19. Se quiser doar em dinheiro para ajudar a iniciativa da ABRFID, basta entrar no mesmo link e clicar no ícone para doações. No link também está disponível um manual para auxiliar os profissionais de saúde a utilizar as Máscaras-Escudo.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here