Systech anuncia solução dentro das normas da Anvisa

O sistema baseado em nuvem permite que os produtos farmacêuticos sejam serializados conforme as exigências do governo brasileiro – e de outros países também

Edson Perin

A Systech, divisão da Markem-Imaje e especializada em soluções de serialização, rastreamento, localização e proteção de marcas, anunciou a oferta de uma solução de compliance [em português, observância a normas e regulamentações] para serialização de produtos farmacêuticos, aderente às exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), cujas normas devem ser atendidas até maio de 2022, pelo cronograma oficial do governo federal. Assim, os laboratórios farmacêuticos, que fabricam medicamentos ou os importam para o Brasil, deverão se adequar às novas regulamentações.

O sistema da Anvisa para controle de medicamentos define os procedimentos para coletar, armazenar e transmitir dados de produtos em toda a cadeia de suprimentos. Com isso, as empresas distribuidoras de medicamentos ficam obrigadas a submeter dados detalhados ao governo federal sobre as transações de produtos.

Paulo Machado

Para Paulo Machado, gerente de contas estratégicas da Markem-Imaje no Brasil, com as novas regras, serão expandidos recursos no país para administrar todos os projetos localmente. “Nossas soluções comprovadas de software são poderosas o suficiente para atender qualquer regulamentação global, mas flexíveis o suficiente para serem válidas com novos equipamentos ou linhas de fabricação”.

Stacey Owens-Perrotta, diretora de marketing global da Systech, afirma que a tecnologia oferecida no Brasil, baseada em nuvem, permite que os produtos farmacêuticos sejam serializados conforme as exigências da Anvisa. “Todos os países têm uma forma de regulamentação na qual os medicamentos não podem passar pela cadeia de suprimentos sem que sejam serializados na embalagem por códigos de barras ou 2D [como QR Codes ou até Impressão Digital, por exemplo]”, diz Stacey. “Um fabricante não pode vender seus medicamentos a menos que cumpra estes regulamentos”.

Stacey Owens-Perrotta

O mercado brasileiro de medicamentos, calculado em US$ 48 bilhões, está crescendo rapidamente, segundo dados da Systech. “No momento, é um dos mercados farmacêuticos mais atrativos e promissores do mundo”, afirma. Além disso, a indústria brasileira de medicamentos genéricos está crescendo rapidamente, para concorrer com outras grandes economias globais.

Segundo Stacey, a ideia da serialização envolve impedir a falsificação e o desvio de produtos, porém, não tem sido suficiente para impedir a ação dos criminosos. “Os códigos de barras e as matrizes 2D na embalagem podem ser replicados ou copiados, portanto, não podem ser a resposta para o problema”, atesta. “Por isso, existem outras tecnologias que são colocadas em camadas na serialização, para adicionar um extra de proteção a cada produto. Essas tecnologias incluem a e-Fingerprint, a solução móvel UniSecure da Systech, e hologramas, selos resistentes a violações, tintas especiais e muito mais”. Para os regulamentos da Anvisa, diz Stacey, “estamos focados apenas em serialização e rastreamento, porque este é o requisito do governo. Inicialmente, não promoveremos o UniSecure”.

Joe Belenardo

Joe Belenardo, vice-presidente global de vendas e marketing a Systech, comenta que todas as novas regulamentações são complicadas. “Por isso, a Systech desenvolveu um programa para o Brasil que inclui um conjunto de soluções combinadas e oferece ao setor os melhores serviços de serialização, rastreabilidade, implantação, produção de relatórios, treinamento e suporte técnico”.

Belenardo acrescenta que a companhia tem experiência em mais de 50 instalações de serialização, com grandes laboratórios farmacêuticos multinacionais no Brasil. “Com soluções L1-L4 inteiramente integradas em funcionamento, podemos atender exigências locais e globais com perfeição, sem precisarmos de múltiplos fornecedores. Somos pioneiros em serialização há mais de 30 anos e permanecemos como a fornecedora de confiança dos principais laboratórios farmacêuticos do mundo”.

Arte sobre vídeo da Systech

A serialização afeta todos os parceiros na cadeia de suprimentos farmacêutica: marcas, fabricantes por contrato, embaladoras, provedoras de logística, distribuidoras e, também, hospitais e farmácias. As empresas farmacêuticas estão começando a planejar o processo agora para entender melhor as exigências, estabelecer recursos e eficiências de custo e assegurar a conclusão do projeto no prazo.

A Systech International, sediada em Nova Jersey, desenvolveu uma suíte de software inovadores para autenticação e rastreabilidade, combater falsificação, impedir desvios e cumprir a regulamentações. Assim, a Systech oferece solução para proteção de marca em uma suíte de produtos que fornece percepções em tempo real, dados de produtos, conectividade digital e engajamento de consumidores. Os sistemas são usados por diversas marcas globais para manter autenticidade de produtos em toda a cadeia de suprimentos.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui