Omni-ID traz nova família de beacons

Os produtos focam em localização de ativos e realização de inventários em ambientes industriais, incluindo locais com condições severas, como petróleo e gás

Claire Swedberg

À medida que o uso de aplicações para Internet das Coisas (IoT) se expande, a empresa de tecnologia Omni-ID desenvolve uma nova família de produtos de transmissão de longo alcance e monitoramento, usando redes de área ampla de baixa potência (LPWAN) – na forma da tecnologia LoRaWAN – e Bluetooth Low Energy (BLE). Os novos beacons estão sendo projetados para expandir os intervalos de leitura e fornecer dados de alerta e sensoreamento para necessidades específicas de cada cliente.

Assim, a empresa está lançando seus produtos Sense em duas famílias: Monitoramento de Condições e Localização para gerenciamento e logística de ativos. Agora, dois produtos Locate estão sendo lançados, com a previsão de lançamento de três dispositivos de monitoramento de condições ainda neste semestre, segundo Tony Kington, CEO da Omni-ID. O recém-lançado Sense Locate Kinetic e Sense Locate Position fornecerão gerenciamento de ativos e de logística em grandes pátios, armazéns ou fábricas.

Sense Locate Kinetic (acima) e Sense Locate Position

O Sense Locate Position utiliza dados de posicionamento GPS e transmissões LoRa para fornecer a localização de ativos em grandes áreas. O sensor de movimento interno do dispositivo permite detectar quando o ativo ao qual está conectado está sendo movido e pode transmitir essa atividade e sua posição para um servidor à medida que o dispositivo se move. Sua distância de leitura de várias milhas significa que alguns pontos de acesso podem cobrir uma grande área de petróleo e gás, defesa ou construção.

Para ambientes internos, o Sense Locate Kinetic da Omni-ID emprega o BLE para atender a aplicações como armazéns ou locais de fabricação. O Sense Locate Kinetic transmite dados com um farol alimentado por bateria e inclui uma antena que pode ler e transmitir até um alcance de mais de 200 metros.

O Sense Locate Kinetic também contém um sensor de movimento e acelerômetro, e pode detectar a presença de metal para permitir um certo grau de proteção contra violação. Por exemplo, se o dispositivo sensor for removido de um ativo metálico, o sensor detectará essa ação e o Locate Kinetic poderá emitir um alerta. Ambos os dispositivos de gerenciamento de ativos podem ser usados ​​com uma plataforma de sistema de localização em tempo real (RTLS).

Os novos produtos complementarão as ofertas de produtos existentes da empresa para o mercado industrial, como suas etiquetas passivas UHF desenvolvidas com a empresa de semicondutores Axzon. A continuação de sua parceria com a Axzon permitirá à Omni-ID oferecer capacidade de detecção de temperatura em uma versão passiva de RFID da próxima rodada de produtos Sense.

“Continuamos vendo um bom crescimento no RFID passivo, com novos produtos sendo lançados nesta primavera”, diz Kington. Os novos produtos, ele acrescenta, “representam uma ramificação do UHF passivo, que tem sido o núcleo de nossos negócios. Vemos uma correlação entre o padrão aberto no UHF e a necessidade de uma abordagem semelhante na IoT”.

O sistema Sense Locate Position foi desenvolvido para clientes que exigem gerenciamento de quintal em áreas amplas. Por exemplo, empresas de petróleo e gás com ativos espalhados por locais grandes e remotos podem ver onde esses ativos são específicos para um pátio, canteiro de obras ou zona em particular. A conectividade LoRa pode ser alcançada com um baixo custo de infraestrutura, observa Kington, uma vez que o longo alcance permite que apenas um ou dois gateways cubram uma área medindo 2 a 4 quilômetros.

Fabricantes, provedores de logística e outras empresas podem empregar a versão Locate Kinetic BLE para identificar ativos ou inventário a uma distância de alguns metros. A granularidade do local dependeria do número de gateways de beacon implantados em um site. Os dois dispositivos Locate podem vir com a funcionalidade UHF e NFC, se um cliente solicitar. NFC, por exemplo, poderia ser usado para configurar o dispositivo com um smartphone. Se os casos de uso de uma empresa exigirem várias funcionalidades diferentes de distância de leitura, o UHF também pode oferecer benefícios.

“Na maioria dos casos”, diz Kington, “existe um espectro de tecnologias sendo implementadas, dependendo de onde as pessoas estão no fluxo de trabalho”. Em alguns casos, as varreduras de código de barras são suficientes, enquanto outros exigem captura de dados de RFID de curto alcance de condições à distância. De fato, ele acrescenta, os clientes da Omni-ID geralmente aproveitam códigos de barras, RFID passivo e RFID ativo para gerenciar ativos que se deslocam por uma variedade de locais ou operações. “Essas tecnologias são, 90% do tempo, complementares e raramente competitivas”.

A O Omni-ID fornece o sensor e o hardware de transmissão embutidos em seus dispositivos Sense, com exceção dos rádios BLE e LoRa. A empresa faz parceria com fornecedores de soluções ou pode fornecer a tecnologia diretamente aos usuários finais. Os produtos Locate estão sendo lançados primeiro, informa a empresa, pois provavelmente serão adotados pelas empresas do mercado industrial que o Omni-ID já atende. Por outro lado, o Sense Condition alcançará uma audiência maior – o dispositivo pode ser usado para rastrear tudo, desde a integridade da ponte (detectando tensão) até a manutenção preventiva (para rastreamento e aplicações de cadeia de frio).

A família de monitoramento de condições apresentará três novos produtos: temperatura da condição de detecção, alerta de condição de detecção e distância da condição de detecção. O primeiro alavancará o RFID UHF passivo para transmitir dados de temperatura capturados sem a necessidade de bateria, enquanto os outros dois são alimentados por bateria e empregam LoRa com um longo alcance de leitura que requer menos implantação de infraestrutura.

“Essas tecnologias são complementares aos nossos principais produtos de RFID UHF”, afirma Kington. “A BLE e a LPWAN têm a oportunidade de resolver ainda mais problemas difíceis da mesma maneira que a UHF passiva. Vejo isso como uma ampliação de nossa oferta ao mercado”.

Atualmente, a Axzon está desenvolvendo um chip baseado em sensor que será incorporado ao dispositivo Condition Temperature. “Ficamos entusiasmados por fazer parte do seu portfólio de produtos”, diz Shahriar Rohksaz, CEO da Axzon. “Trabalharemos em conjunto para lançar nosso produto de detecção passiva em seu sistema”.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here