Tecnologia RFID pode ajudar a eliminar as filas no comércio

O mundo pós-pandemia sofrerá grandes transformações e a implantação da tecnologia de identificação por radiofrequência poderá se tornar ainda mais necessária

Marcos Honda

A atual pandemia de Covid-19 tem causado muitas mudanças em nossos cotidianos e com a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), muitos varejistas podem aproveitar para fazer a implantação destas tecnologias e, assim, eliminar as filas e aglomerações em seus estabelecimentos, evitando os riscos causadas pela doença do coronavírus.

O surto tem se desenvolvido cada vez mais no Brasil nas últimas semanas. Por conta disso, sempre somos lembrados de seguir as recomendações de segurança para evitar um maior contágio da doença.

Marcos Honda

O comércio considerado essencial, como é o caso dos supermercados, tem feito adaptações drásticas para deixar todos os seus clientes seguros. O distanciamento social se tornou uma realidade e ainda vemos casos que não estão sendo possíveis evitar o contato com outras pessoas, como no caso de clientes e atendentes de caixas.

Em alguns estabelecimentos, a fila tem se tornado um grande problema, uma vez que a necessidade de ter itens essenciais tem aumentado cada vez mais por não saber como será o amanhã. Pesquisas apontam que as vendas em supermercados tiveram aumento de 10% em meio à pandemia.

Com o intuito de evitar cada vez mais filas, a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) tem sido um grande aliado e em muitos lugares tem se tornado presente. Varejistas podem aproveitar e passar a utilizar em seus estabelecimentos.

Por meio desta tecnologia, o cliente pode efetuar a compra sem ter de passar por um caixa. A mais comum hoje em dia é o self checkout com RFID, um terminal com o qual os clientes processam e realizam suas próprias compras, utilizando um leitor RFID.

Existem também uma outra possibilidade, na qual os clientes fazem as leituras diretamente em seus celulares por um leitor NFC e finalizam a compra diretamente em seus aparelhos.

Após a compra dos produtos, as etiquetas são automaticamente desativadas, confirmando assim a realização da compra.

Por meio da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), o cliente faz toda a compra sem contato, sem filas e de uma maneira totalmente segura. O mundo após a pandemia sofrerá grandes transformações e a implantação da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) poderá se tornar ainda mais necessária.

Consumidor de supermercado no pós-Covid-19

Para os clientes, a tecnologia traz mais rapidez no dia a dia e maior segurança, pois evita longas filas dentro dos estabelecimentos comerciais.

No entanto, para os varejistas, além de verem os clientes mais seguros dentro dos seus estabelecimentos, a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) permitirá um controle ainda mais completo.

Um exemplo disso é utilizar a tecnologia também no controle de estoque. Uma área importante dentro de qualquer empresa. A tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) torna possível saber de forma rápida e prática quais produtos foram retirados, os que precisarão de reposição, além de saber quais produtos são os mais vendidos.

Por meio das ondas de rádio, o varejista poderá fazer um relatório completo de todo o seu estoque.

As vendas on-line também tiveram um forte aumento por conta da pandemia. A tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) também poderá se fazer presente, pois, no momento em que a compra online for realizada, a própria tecnologia já faz o desconto do estoque.

Como podemos ver, a tecnologia RFID poderá se tornar uma necessidade nos grandes varejos, trazendo também maior segurança aos clientes.

Além do benefício aos clientes, os próprios empresários ganham com isso, pois a tecnologia permitirá maior controle de estoque.

Marcos Honda é diretor da Acura, empresa especializada em tecnologia RFID.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here