Tecnologia protege marcas contra pirataria

Os serviços Trusted Tag, da HID, combinam autenticação na nuvem com etiquetas NFC, para verificar produtos que podem sofrer falsificação

Edson Perin

Combater a pirataria e a falsificação está no alvo da HID Global, que desenvolveu tecnologia que permite aos usuários verificar se um produto é original ou não com um simples toque de telefone celular. Por meio de um serviço chamado HID Trusted Tag, um produto pode ser autenticado de forma confiável desde sua produção, passando pela fase de distribuição, até chegar ao ponto de venda.

Na hora de realizar a compra, o próprio consumidor pode verificar a originalidade do produto com um simples toque de seu dispositivo móvel Android ou iOS. Esta solução foi criada com a intenção de proteger as marcas contra as atividades do mercado negro. Os serviços Trusted Tag combinam os autenticação em nuvem da HID com suas etiquetas NFC, disponíveis em uma ampla variedade de formas e tamanhos e que se destinam à verificação de originalidade.

Solução na nuvem HID Trusted Tag

As etiquetas NFC são inseridas em cada produto durante o processo de fabricação e são lidas facilmente com smartphones com tecnologia NFC (Android e do iOS v11 em diante). Os recursos criptográficos avançados das etiquetas incorporadas tornam impossível cloná-las ou copiá-las, enquanto os recursos de segurança estendidos do serviço de autenticação na nuvem permitem a autenticação da marca que preserva a privacidade, bem como a interação do consumidor em um ambiente fechado e confiável.

De acordo com Mark Robinton, diretor de Desenvolvimento de Negócios e Inovação Estratégica da HID Global, como pioneira da proteção de marcas, a HID é capaz de impulsionar a adoção em massa de serviços de proteção de marca para evitar que o consumidor seja enganado por produtos falsificados. “Nosso objetivo”, diz Robinton, “vai além de adicionar confiança à cadeia de suprimentos. Queremos abrir um canal seguro para uma estratégia de fidelização de cliente”.

Segundo o estudo “Falsificação e pirataria 2017”, realizado pela Associação Internacional de Marcas (INTA), estima-se que o comércio internacional de produtos falsificados e piratas atinja os 991 bilhões de dólares no ano 2022. Por isso, empresas de todo o mundo já começaram a adotar esta tecnologia para combater o crime. Um dos casos mais conhecidos é da loja de bebidas Old Kempton Distillery (OKD), na Tasmânia, que usa os serviços Trusted Tag para proteger seus produtos.

A solução da destilaria usa os serviços Trusted Tag na aplicação web AusNFC, que impulsiona a experiência móvel front-end nos telefones dos clientes. “Queríamos proteger a marca”, diz Robbie Gilligan, gerente de Negócios e embaixador da Old Kempton Distillery, “já que a OKD é um dos uísques mais reconhecidos no mundo e o setor de bebidas é um dos mais sensíveis à falsificação. Ao mesmo tempo, desejávamos uma solução que nos permitisse interagir com segurança com nossos clientes após da venda e acreditamos que esta solução nos fornece exatamente isso”. 

Uma etiqueta NFC criptograficamente segura da HID está incrustrada na etiqueta de cada garrafa de licor, que está vinculada ao serviço de autenticação em nuvem da HID. Ao tocar a garrafa com um telefone iPhone ou Android, o cliente aciona um canal de comunicação seguro que autentica a procedência do seu produto premium, até o número real da garrafa.

Cada toque gera um URL único, impedindo que os falsificadores copiem, contrafaçam ou manipulem o URL para uma verificação falsa. Esta tecnologia abre uma nova e poderosa maneira para que a Old Kempton Distillery permaneça conectada com seus clientes por meio de comunicações diretas e hiperpersonalizadas que ajudam a destilaria a criar lealdade em um ambiente fechado que preserva a privacidade.

Outro caso importante é o da Blue Bite nos Estados Unidos, que lançou um pacote de autenticação que utiliza os serviços Trusted Tag para as marcas europeias mais importantes, em associação com a empresa italiana Temera. Da mesma forma está o exemplo da empresa Authentic or Not no Canadá. Ambos trabalham com a HID para oferecer uma experiência segura de autenticação de marca às principais marcas, usando tecnologia patenteada para incorporar inteligência em produtos e destrancar a interação do mundo real com os consumidores.

De acordo com o INTA, as marcas geram cerca do 40% do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos, ao igual que nos países da União Europeia. Na América Latina, as marcas originam 20% do PIB.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui