Sincpress apresenta soluções para setor farmacêutico

Empresas que fabricam embalagens para a indústria de medicamentos marcaram presença no evento realizado em parceria com a Associação Brasileira de Embalagens (ABRE)

Edson Perin

Identificação de produtos e rastreamento são necessidades importantes dos fabricantes do setor farmacêutico, segundo estudo apresentado pelo Sincpress. Porém, a proteção das marcas contra a falsificação está no topo da lista de preocupações, especialmente porque somente no Brasil perto de 20% de todos os medicamentos são falsificados. Numa matéria recente publicada por este IoP Journal (leia em Falsificação de produtos atinge receita anual de US$ 1,7 trilhão), um estudo patrocinado pela Systech mostra que falsificar remédios é um dos crimes mais lucrativos atualmente, fazendo, por exemplo, com que um medicamento como o Viagra, quando falsificado, seja até 2.000 vezes mais rentável do que traficar drogas pesadas.

Em busca de soluções que permitam tornar os remédios originais mais seguros, eliminar as falsificações e combater o roubo de cargas, a Associação Brasileira de Embalagens (ABRE) organizou um encontro com os integrantes do seu Grupo de Trabalho (GT) de produtos farmacêuticos no Sincpress no dia 10 de março, em Sorocaba (SP). Foi recebido no primeiro centro de embalagens inteligentes da América Latina um número próximo de 20 representantes de empresas que atendem a área de embalagens do setor farmacêutico e alguns laboratórios.

GT da Indústria Farmacêutica, da ABRE, conhece Sincpress e poder das Smart Packaging ou Embalagens Inteligentes

As preocupações com as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) revelam os desafios para que se desenvolvam embalagens que tragam uma experiência aprimorada aos clientes. No entanto, devido ao crescimento da quantidade de crimes realizados contra a indústria em todo o mundo, a possibilidade de desenvolver mecanismos nas embalagens capazes de conter os criminosos atrai bastante a atenção dos executivos do setor.

“Nós enxergamos muitas soluções que podem ser conseguidas com as embalagens inteligentes, até mesmo para empresas de outros setores, além dos laboratórios farmacêuticos”, disse Camila Carbonelli, executiva de comitês da ABRE. “Por isso, trouxemos as empresas associadas à ABRE e que atuam no setor de medicamentos para conhecer o Sincpress”. A ABRE tem associados em diversos setores, muitos com necessidades muito semelhantes a outros segmentos, porém com suas particularidades.

Para dar uma visão de como funcionam as embalagens inteligentes (Smart Packaging), Paula Valerio, principal executiva do Sincpress, fez várias demonstrações, como mostra o vídeo abaixo.

A Avery Dennison enviou uma representante para participar do encontro da ABRE no Sincpress. A companhia, que há poucos meses adquiriu a Smartrac, está com foco bastante agressivo em suprir soluções para cadeias de suprimentos e também em embalagens inteligentes. A executiva Keyse Marques, gerente de desenvolvimento de negócios da subsidiária brasileira, explicou como as novas tecnologias impactam positivamente diversos mercados e de que modo a Avery Dennison está atuando para atender seus clientes. Assista à entrevista:

A executiva Lissandra Nunes, gerente de vendas da Rose Plastic, abordou as oportunidades que a sua empresa está desenvolvendo para o uso de embalagens inteligentes em diversos clientes e dos mais variados setores, incluindo indústria farmacêutica e, também, de ferramentas de corte. A Rose Plastic, com fábrica em Sorocaba (SP), está atenta às necessidades de seus clientes tanto em questões que envolvem a experiência de seus compradores como com a sustentabilidade das embalagens e, como consequência, a Economia Circular. Assista à entrevista:

Assista ainda à entrevista com Camila Carbonelli, executiva de comitês da ABRE. Clique no vídeo abaixo:

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui