Novos passaportes com tags da Índia

A nação está prestes a exigir que todos os seus cidadãos obtenham passaportes eletrônicos com tecnologia RFID incorporada no próximo ano

Rich Handley

De acordo com relatórios do Times of India e outros sites, o governo indiano decretou que, a partir do próximo ano, todos os cidadãos daquele país serão obrigados a obter um passaporte eletrônico habilitado para identificação por radiofrequência (RFID), o e-passaporte [os passaportes brasileiros mais novos já utilizam esta tecnologia]. Espera-se que a tecnologia RFID a ser usada nos documentos permita que a Índia – um país com uma população de quase 1,4 bilhão de pessoas – reduza a incidência de roubo de identidade e falsificação de documentos, enquanto simplifica seus procedimentos de imigração.

O chip RFID conterá informações sobre o titular do passaporte, incluindo suas impressões digitais, fotografia e assinatura digital. O e-passaporte será mais durável na construção do que os passaportes normais e será mais seguro, uma vez que os dados RFID serão criptografados, com recursos para evitar que terceiros não autorizados roubem dados pessoais. A automação permitida pelos e-passaportes tem permitido que alguns aeroportos proporcionem tempos de processamento mais rápidos e maior segurança em suas áreas de imigração e nos pontos de controle de segurança para quem viaja com tais documentos.

rich handley
Rich Handley

Durante um período de teste, aproximadamente 20.000 diplomatas indianos usaram os passaportes eletrônicos, sem maiores problemas relatados. Agora, os documentos serão divulgados para toda a população da Índia por meio dos 36 escritórios de passaportes do Ministério das Relações Exteriores. Todos os passaportes e renovações recém-emitidos contarão com a tecnologia RFID a partir de 2021 e cumprirão os padrões estabelecidos pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) das Nações Unidas. O chip terá o tamanho de um selo postal, conterá 64 kilobytes de memória e armazenará dados relativos a até 30 visitas, e espera-se que acelere significativamente os movimentos dos viajantes nos aeroportos.

Esta semana, de acordo com SiFy.com, o National Informatics Centre (NIC) da Índia emitiu um pedido de propostas para que pudesse escolher uma agência para lidar com a infraestrutura de TI, com licitação para as RFPs prevista para terminar no final do mês. De acordo com a SiFy, o sistema precisará lidar com 10.000 e-passaportes a cada hora, para um máximo de 50.000 por dia, com esse volume diário estimado em até 100.000. O programa da Índia segue os passos de outros sistemas de passaportes eletrônicos biométricos ou RFID nos Estados Unidos, União Europeia, Brasil, Austrália, Malásia, Venezuela e outras áreas do mundo.

Passaporte brasileiro já utiliza tecnologia RFID

Esta será uma implantação massiva em escala nacional, e é impressionante ver a Índia dar um passo tão importante na implementação da tecnologia RFID para este propósito.

Os defensores da privacidade podem achar a ideia enervante, mas contanto que o governo indiano possa garantir a segurança do sistema e proteger os dados pessoais dos indivíduos, seus passaportes eletrônicos oferecem ao país muitos benefícios – e uma vez que esses benefícios sejam comprovados, isso poderia ajudar a impulsionar outros países a entrar no movimento e emitir seus próprios passaportes RFID, tornando as viagens internacionais muito mais rápidas, seguras e eficientes.

Rich Handley é editor-executivo do RFID Journal. Anteriormente, foi editor-chefe da revista Advanced Imaging e editor-associado da Printing News. Rich escreveu, editou ou contribuiu para livros sobre cultura pop e é editor da coleção de romances da Star Trek da Eaglemoss.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here