Marca d’água digital favorece reciclagem

A solução pode ser adicionada a uma etiqueta impressa e não pode ser vista por olhos humanos; somente por computador ou smartphone

AIPIA

O Berry Global Group anunciou sua participação na nova iniciativa de reciclagem HolyGrail 2.0. O resultado de seu antecessor, o Projeto Pioneer HolyGrail, liderado por Gian De Belder na Proctor & Gamble, foi a identificação de marcas d’água digitais – especificamente, a marca d’água digital da Digimarc – como técnica promissora para ‘etiquetar’ substratos plásticos ou materiais impressos ou etiquetas de papel com uma identidade que pode incluir atributos como tipo de plástico, fabricante do produto, SKU, uso de alimentos ou não alimentares e composição de folhas multicamadas.

A marca d’água digital da Digimarc pode ser adicionada à arte impressa da etiqueta, além de ser gravado no próprio plástico e não pode ser vista por olhos humanos, somente por um computador ou smartphone com o respectivo app instalado. A Berry Plastics e a Digimarc são membros da Active & Inteligent Packaging Industry Association (AIPIA), associação internacional que realizará o seu World Congress on Active & Intelligent Packaging, nos dias 18 e 19 de novembro, em Amsterdã.

Exemplos de marcas d’água da Digimarc: esquerda sem marca d’água, direita com marca d’água

O Berry fabricará embalagens plásticas contendo a marca d’água digital Digimarc para uso na classificação de produtos. As duas empresas são parceiras de longa data, e a Digimarc aconselha a Berry a adicionar a marca d’água digital em tampas e paredes finas para contêineres, como parte do projeto.

“Continuamos impressionados com as possibilidades que a Digimarc traz para nós e nossos clientes. É emocionante ver a decoração com potencial para causar um impacto tão positivo na recuperação de plásticos”, disse Jennye Scott, vice-presidente de serviços criativos da Berry.

Como signatária oficial do compromisso global de economia de novos plásticos, da Ellen MacArthur, a Berry prometeu que todas as suas embalagens de plástico seriam reutilizáveis, recicláveis ​​ou compostáveis ​​até o ano de 2025.

De acordo com a estratégia de sustentabilidade da empresa, Impact 2025, a Berry está se esforçando para aumentar a recuperação de plásticos por meio da reciclagem. A esperança da empresa é acelerar os esforços em direção a uma economia circular, ultrapassando os limites da inovação tanto na recuperação de materiais quanto nas embalagens recicláveis.

O primeiro teste foi realizado nas instalações da Tomra Sorting em Mülheim-Kärlich, Alemanha, em 22 de outubro deste ano, durante o K-2019 Show (Dusseldorf), de acordo com o relatório Industry Intelligence.

Clique aqui e saiba mais sobre o World Congress on Active & Intelligent Packaging Agenda, da AIPIA, a ser realizado nos dias 18 e 19 de novembro. Vale conferir. O IoP Journal estará lá fazendo a cobertura em Amsterdã.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui