Marca d’água digital facilita separação de resíduos plásticos

A solução aparece no relatório Compromisso Global da Nova Economia de Plásticos, do Programa para o Meio Ambiente da ONU e Fundação Ellen McArthur

IoP Journal

A Fundação Ellen McArthur e o Programa para o Meio Ambiente das Nações Unidas (ONU) anunciaram hoje a publicação do primeiro relatório anual de progresso do New Plastics Economy Global Commitment (Compromisso Global da Nova Economia do Plástico), fornecendo informações sobre como quase 200 empresas e governos estão remodelando o sistema de plásticos em todo o mundo.

O relatório (clique aqui para baixar) mostra, entre diversas iniciativas, como os signatários do compromisso estão explorando novas tecnologias que impulsionam melhorias nas soluções de classificação de resíduos plásticos.

“Um destaque na área”, afirma o relatório, “é a prova de conceito da Digimarc Corporation para o uso de marca d’água digital para classificar plásticos em meio a resíduos misturados”. A chamada marca d’água digital é obtida pelo processo de impressão de embalagens convencionais, que passam a conter em suas imagens um conjunto de informações invisíveis aos olhos humanos, mas que podem ser decifradas por smartphones e câmeras conectadas a computadores.

A iniciativa da Digimarc mencionada no relatório faz parte do Projeto HolyGrail, que recebeu o prêmio máximo no Sustainability Awards 2019, entregue no mês de setembro deste ano. O projeto pioneiro, liderado pela Procter & Gamble e facilitado pela Fundação Ellen MacArthur, também conquistou o prêmio “Driving the Circular Economy”.

Lixo plástico pode ser identificado e separado por meio de códigos contidos em marcas d’água

O HolyGrail representa o resultado de três anos de inovação na melhoria da reciclagem pós-consumo, usando rastreadores químicos e marcas d’água digitais, com o objetivo de atingir uma Economia Circular. Após projetar a embalagem para a circularidade, o desafio passa a ser no que se refere à coleta e participação do consumidor.

De acordo com os desenvolvedores do projeto, a qualidade e as quantidades de materiais reciclados são bastante aumentadas, por meio de uma triagem aprimorada, ajudando assim na transição para uma Economia Circular, à medida que se melhora também a reciclagem de materiais.

O projeto HolyGrail, liderado por Gian De Belder, da Procter and Gamble, está investigando a fundo o papel potencial das marcas d’água digitais e dos rastreadores químicos na melhoria da precisão da reciclagem. A prova de conceito básica foi estabelecida para rastreadores químicos, em 2018, e para marcas d’água digitais, neste ano de 2019.

Segundo relato de De Belder, ao tornar as embalagens mais inteligentes por meio de marcas d’água digitais, um módulo adicional vinculado ao equipamento de triagem existente pode ler os códigos invisíveis para reciclagem e fazer um trabalho mais eficaz. Ou seja, pode realizar uma distinção entre embalagens de alimentos e não-alimentares, classificar com eficiência todas as embalagens coloridas, garrafas, identificar embalagens recicláveis ​​e compostáveis, entre outras atividades.

As marcas d’água digitais, ressalta De Belder, são uma tecnologia que pode ser usada durante todo o ciclo de vida de uma embalagem: desde o empacotamento de um produto até a classificação melhorada nas instalações de recuperação de materiais e recicladores.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui