Lutar ou morrer: nada mudou

Empresas crescem em meio à pandemia de Covid-19, graças à perseverança de profissionais que não fraquejaram diante das dificuldades e que prometem se manter no mercado por longos anos

Edson Perin

Como no último editorial que escrevi (leia: Nunca é hora de dar mole), todo mundo precisa de visão, confiança e trabalho para dar continuidade a qualquer projeto – ou mudar radicalmente, se necessário for. Não é possível, nunca, lutar e vencer se a postura for de comodismo ou de quem está na chamada Zona de Conforto. Este local sonhado por tantos, a tal Zona de Conforto, integra um conjunto de “benefícios” que na minha opinião destrói os profissionais, como explico abaixo.

Em 2020, as principais empresas do mercado brasileiro de Internet of Packaging (IoP) passaram bem pela tempestade do primeiro ano da pandemia. Aqui no Brasil, houve casos em que o crescimento superou a casa dos 30 pontos percentuais, no faturamento de alguns fornecedores de tecnologias. “Como assim? Em plena crise?”, você deve se perguntar. Sim, mas apenas aqueles que não encolheram suas mentes e, por isso, comandam as empresas com maior vigor.

Edson Perin, editor
Edson Perin

Segundo uma reportagem da CNN veiculada no dia 11 de fevereiro de 2021, tendo como base os casos de novas variações do coronavírus que – ainda – não são imunizáveis, e outras que ainda surgirão, cientistas ingleses apontam que a guerra contra este inimigo invisível deve durar, por baixo, longos 10 anos. Sendo assim, podemos vislumbrar claramente no mercado aqueles que sobreviverão e crescerão e os que sucumbirão à pandemia.

Claro que é possível ver isto. Em meio a tanto sucesso de uns, há claramente os que estão ou em suas Zonas de Conforto ou se conformaram com suas dimensões medíocres. Uns têm dimensões grandiosas, mas na média são compostos por profissionais de Zonas de Conforto. Gente assim produz pouco, não atinge metas e transfere a “responsa”… Claro, para não perder a boquinha.

Há tempo, porém, de algumas pessoas mudarem de comportamento diante da realidade, o que certamente influenciará os negócios. Afinal, negócios são feitos por pessoas – até por aquelas que muitas vezes são pseudo-ativas ou assumidamente acomodadas. Então, os que se armarem corretamente para combater neste campo minado pelo coronavírus e realmente lutarem sairão vivos. Os outros só terão de se deitar…

O mundo, apesar de parecer novo, sempre teve riscos altos e situações imprevisíveis, sim, imprevisíveis. Nada mudou. O que mudou foi que o nível de dificuldade aumentou e muitas pessoas que se sentiam seguras vão ficar pelo caminho. Outros vão deixar projetos frágeis e saltar para salva-vidas mais estáveis. Outros vão se juntar em grupos mais fortes e vencer. Outros ainda vão só sucumbir. É a vida. Repito: nada mudou.

O importante é manter a galhardia!

Edson Perin é editor do IoP Journal Brasil e fundador da Netpress Editora

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here