IoP mostra força no AIPIA World Congress 2019

O evento de Amsterdã mostrou novas ofertas de soluções de Internet of Packaging, que envolvem o cliente de um jeito diferente do convencional

Edson Perin

O World Congress 2019 da Active and Intelligent Packaging Industry Association (AIPIA) foi uma verdadeira escola sobre como utilizar tecnologias capazes de encantar o cliente de maneiras nunca vistas antes, além de garantir a autenticidade dos produtos e controlar as cadeias de suprimentos. Muitas das tecnologias de Internet of Packaging (IoP) já estão se tornando conhecidas e utilizadas com maior frequência, porém ainda há muito a se criar.

Entre os expositores, a Talkin’ Things apresentou soluções para produtos baseadas em vários padrões de comunicação, cada um com benefícios diferentes e tipos variados de interações com os consumidores. A companhia promete selecionar as ferramentas certas e a fornecer conceitos adequados às necessidades de cada marca.

Por meio de Near Field Communication (NFC), a companhia propõe criar comprovantes de compra por meio das etiquetas de dois estágios, que fornecem diferentes recursos e comunicação quando a embalagem é lacrada e quando já foi aberta. Além disso, aponta a empresa, a mesma tag que fornece recursos ao consumidor pode ser usada para interação com dispositivos de varejo inteligentes ou para rastreabilidade na logística.

A Talkin’ Things também utiliza Realidade Aumentada em embalagens inteligentes para permitir que o produto acione conteúdo multimídia. Assim, o rótulo ganha vida na forma de vídeo ou animação 3D ou pode ser um gateway para levar conteúdo exclusivo, fazendo da embalagem uma mídia criativa. O fator de diversão, segundo a companhia, funciona no engajamento do consumidor.

Talkin’ Things e Realidade Aumentada: a experiência de embalagem inteligente da cerveja Black Beer apresenta cenários dinâmicos que respondem ao humor dos consumidores, enviando mensagens diferentes, dependendo de o produto ter sido aberto ou não

Para estas experiências, a Talkin’ Things também recomenda adotar Image Recognition (IR), em algumas situações, devido à fácil implantação, porque geralmente não requer alterações nas embalagens ou etiquetas existentes e funciona em quase todos os dispositivos celulares.

Uma das três empresas fornecedoras de tecnologia selecionadas pelo laboratório farmacêutico Abbott foi a Arylla, que utiliza impressão digital (Digital Printing) para criar códigos invisíveis aos olhos humanos em embalagens, inclusive de remédios. Por meio destes códigos, a companhia grava informações facilmente acessáveis por meio de um smartphone ou outro dispositivo com câmera embutida, permitindo diversas vantagens, entre elas, verificar a autenticidade de um produto e oferecer serviços adicionais ao cliente.

Imagine, por exemplo, um paciente idoso que precise tomar mais de um remédio, várias vezes por dia e que não tenha uma enfermeira ou alguém da família para lembrar de todos os medicamentos a todo momento. A inteligência das embalagens produzidas pela Arylla pode garantir um conforto e segurança maiores a este cliente, por meio de um aplicativo que identifique o medicamento a ser ingerido em um horário específico, informando ainda a quantidade correta e outros procedimentos.

Lógico que encantar o cliente não se resume a isto. Então a solução da Arylla pode ainda evitar que um produto ou medicamento seja desviado de sua correta destinação (Product Diversion), além de oferecer maior eficiência para reciclagem, por meio de rastreamento e separação automatizados de embalagens descartadas.

Entre os expositores da AIPIA World Congress 2019, estava a DataLase, que cria soluções com uma combinação de impressão convencional e digital, o que chama de Impressão Fotônica. A concepção da DataLase envolve um processo de impressão em duas etapas. A impressão convencional, por exemplo, flexografia ou rotogravura, é usada para estabelecer um revestimento reativo a laser em um adesivo sobre um substrato da embalagem.

O substrato é tipicamente papelão ondulado, papel, filme plástico ou papel alumínio. Então, no ponto mais perto do início da cadeia de suprimentos do produto, ou seja, no ponto de embalagem ou preenchimento, o adesivo pré-impresso é exposto a comprimentos de onda específicos do laser, que ativam o revestimento para imprimir dados ou gráficos variáveis, conforme necessário. Cada embalagem pode ser impressa exclusivamente e não é necessário investir em insumos como tintas ou fitas especiais.

As impressões digitais permitem que as embalagens tragam informações específicas para cada tipo de consumidor, ou mesmo dados personalizados, para garantirem uma experiência mais encantadora e interativa.

Também entre expositores da AIPIA, a Toppan levou suas soluções para embalagens envolvendo Digital Printing. A fornecedora global fornece soluções integradas nas áreas de impressão, comunicação, segurança e eletrônicos. Atendendo a clientes em todos os setores de negócios e indústria, a equipe global de mais de 50.000 funcionários da Toppan oferece soluções para diversos desafios que as empresas e a sociedade enfrentam no mercado. Desde a sua fundação, a Toppan ampliou e avançou em aplicativos para tecnologias de impressão, para desenvolver um sistema exclusivo que fornece soluções baseadas nessas tecnologias de ponta.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui