Impressão Digital, sim; e com muita criatividade

A tecnologia permite a criatividade, o que é fundamental para desafiar o que já foi criado, estimular testes, ganhar versatilidade e extrapolar os limites

Edissa Furlan

A criatividade é fundamental hoje, mais do que nunca. Desde que entrei na área de grandes formatos, com os equipamentos que imprimem em substratos diferentes e oferecem versatilidade aos trabalhos, busco convidar os clientes à diferenciação. Isso está muito latente e é uma questão de sobrevivência em todos os mercados.

Todos precisam se diferenciar e ser mais criativos. Estamos vendo uma reabertura gradual do comércio com exigência rígida de sinalização e espaçamento, devido à Covid-19. Isso abre um leque importante de aplicações que nossos clientes de Comunicação Visual vão poder atender.

Edissa Furlan

A HP lançou uma iniciativa chamada Printing Heroes, com histórias de empresários locais e do mundo inteiro, que estão fazendo diferente, atendendo o pequeno comércio, farmácia, supermercado, com adesivos de chão e outros itens. Há inclusive uma empresa brasileira na iniciativa. Os exemplos estão em toda parte.

A diversificação vai fazer a diferença, inclusive na área de decoração e na venda online. Todos tiveram de se adaptar ao on-line mais do que antes. Ficou tudo online. Então, os clientes que tinham plataformas preparadas para negócios on-line tiveram crescimento em suas atividades. E até cliente pequeno que colocou um post em mídia social, avisando que estava fazendo adesivo para comércio, recebeu vários pedidos.

O brasileiro faz a diferença quando alia dificuldade e criatividade, que é onde a diversificação entra e os clientes estão se desafiando. A gente precisa vender, pagar conta, ter equipamento que funcione, qualidade, é uma junção de fatores que estão nos tirando da zona de conforto e entrando em outro patamar de diversificação. E a tecnologia funciona como motor de tudo.

E quando falamos da junção tecnologia e criatividade, é fundamental lembrar que não existe mais o “tinta no papel”, agora é “tinta em qualquer coisa”: papel, vidro, lona, madeira, tecido, vinil e uma infinidade de mídias. E mais: uma foto sua pode virar um adesivo de geladeira, uma almofada, uma bolsa.

Quando o designer entender o potencial da impressão digital, esse mundo vai mudar, porque permite pensar o processo do início ao fim. É se desafiar: como eu faço um abajur? É tentativa e erro, comprar os materiais, testar, errar, até acertar. Por isso, esse momento é único. Apesar das dificuldades, é tempo de experimentar.

O impresso relevante nunca vai morrer. O que é relevante vai ter sempre seu papel. E aí está a criatividade e a necessidade. As famosas faixas de fachada, escritas à mão, estavam fora de moda. E o que a gente vê hoje em dia? Restaurantes colocando uma grande faixa com número de telefone de delivery.

Para se diferenciar, é preciso entender que produto você vai oferecer. Vai precisar de mídias diferentes? A gente brinca que a parte mais fácil é imprimir. Conceber, criar e finalizar são os desafios. Se você vai fazer um sofá, precisa ter um tapeceiro bom, o mesmo em envelopamento, decoração.

Há muitos produtos usando o princípio de envelopamento para decoração. Há espelhos de tomada, eletrodomésticos: faça esses impressos e leve esses conceitos para a sua empresa, pois quando seus clientes te visitarem, verão tudo que é possível. Faça também fotos e vídeos, divulgue nas redes sociais, para ajudar a materializar as possibilidades.

Em papel de parede, você tem na customização praticamente zero desperdício e tem escala. Em parcerias com designers e arquitetos, podem ser criadas linhas de produtos com a sua assinatura para venda. E unir opções: em um quarto de criança, pode-se oferecer também uma almofada impressa. E tudo sob demanda.

Você pode ter sua oferta em seu site, mostrar essas possibilidades e trabalhar no offline de forma mais pessoal desenvolvendo esses projetos. E vai além do residencial: há a decoração de restaurante, escola, hotéis, maternidades – como essa, do envelopamento para deixar um ambiente leve, saudável, agregando muito ao espaço.

A impressão com conteúdo e criatividade será sempre relevante. Quando a gente fala com quem está fazendo o diferente, percebe que foram por esse caminho. Testar, ter trabalho, suar. Você vai se desafiar e o melhor momento é agora. O novo está diante da gente. A HP está sempre fazendo testes para os clientes, vendo novas mídias, testando muito a versatilidade, buscando extrapolar os limites.

Ao produzir materiais diferenciados e sob demanda, entra a questão da sustentabilidade, por não ter desperdícios. Na demanda reprimida, ela virá aos poucos. Nos negócios, é preciso repensar o fluxo, juntando trabalhos, explorando materiais, diminuindo desperdício, olhando o que pode ser feito com as sobras. É uma produção mais racional, sem desperdício.

A tecnologia permite a criatividade. Se desafiem, desafiem seus fornecedores de equipamentos, desafiem seus fornecedores de mídias, desafiem suas agências, muitas vezes elas não sabem o potencial do impresso.

Edissa Furlan é executiva de marketing de Artes Gráficas da HP e será palestrante na FESPA Digital Printing 2020, de 23 a 25 de setembro no Expo Center Norte, em São Paulo (SP)

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here