Cooperativa gaúcha melhora eficiência com QR Codes

A Languiru, do município de Teutônia (RS), atua também no segmento de lácteos, com capacidade para processar 600 mil litros de leite por dia

Edson Perin

A cooperativa gaúcha Languiru, sediada no município de Teutônia (RS), uma cidade de 30 mil habitantes no Vale do Taquari, atua em diversos segmentos e, especialmente no de lácteos, tem capacidade para processar 600 mil litros dia. Os processos da companhia eram manuais, pautados em papel e sistemas independentes uns dos outros. Agora, todo o processo foi integrado e digitalizado, desde a captação da matéria-prima, insumos e ingredientes utilizados, processo produtivo até a chegada no ponto de venda, o que garantiu um ganho global de eficiência da ordem de 5 pontos percentuais.

O sistema implantado pela SIG se baseia na impressão de QR Codes únicos em cada embalagem para atribuir as informações de rastreabilidade antes e depois do envase, desde a coleta do leite até o ponto final de venda, integrando a cadeia de valor da cooperativa Languiru. Os QR Codes permitem a serialização das embalagens, caixas e pallets com proteção e segurança da informação. Os produtos rastreados com a tecnologia Connected Pack da SIG, são: Leite Integral, Semidesnatado, Desnatado, Zero Lactose e Chocolan (bebida láctea sabor chocolate).

O leite Languiru Origem nasceu graças à tecnologia, que permitiu selecionar e processar a produção das cinco melhores fazendas, garantindo um produto de qualidade superior

A plataforma digital e de rastreabilidade da SIG funciona como serviço (Software as a Service ou SaaS), que abrange todas as etapas da cadeia, desde a fazenda até o consumidor. Desse modo, sistemas e aplicativos ajudam a controlar e integrar a informação, minimizando o tempo de trabalho e os riscos de falha humana. Com isso, os ganhos foram muito além das expectativas e, graças ao empenho do time próprio da Languiru, a companhia atingiu resultados e melhorias em grandes áreas, principalmente qualidade, produção e vendas.

Com os dados captados, foi possível criar dashboards e definir novos KPIs (Key Performance Indicator ou Indicadores-Chave de Desempenho), que antes não eram acompanhados. A SIG disponibilizou especialistas e aplicou seu know-how na cadeia produtiva do leite e indústria alimentícia para apoiar na criação de rotinas e processos de melhoria. Mesmo antes do projeto, a Languiru já possuía índices de produtividade elevados, mas com o novo sistema houve redução no custo de transformação de 12,5%, aumento na eficiência global de 5 pontos percentuais e aumento de disponibilidade na planta.

O projeto permitiu ainda oferecer maior confiabilidade ao consumidor. Com a transparência atingida, a marca que flutuava entre os quinto e sexto lugares em marketshare, no Rio Grande do Sul, saltou para as três primeiras posições entre as três marcas de leite mais consumidas no estado.

A tecnologia de QR Code está, inclusive, na base do lançamento de um produto premium e único no mercado: o Leite Languiru Origem. Com a tecnologia escalada para toda a produção, foi possível selecionar e processar o leite das cinco melhores fazendas, com base em boas práticas, bons tratos animais, controle de qualidade, qualidade do leite cru etc. O Leite Origem foi lançado em agosto de 2019, em Porto Alegre.

A solução trabalha localmente e on-line. O servidor local funciona para compilação e tratamento inicial dos dados (também como medida de segurança para backups e funcionamento offline) e o servidor em nuvem permite um armazenamento seguro, acesso remoto e visualização em tempo real, sem necessidade de VPN (rede privada virtual, do inglês, Virtual Private Network).

O uso de QR Codes permitiu que, com apenas uma chave de busca, seja possível ter acesso a todos os dados de qualquer etapa da cadeia produtiva de um determinado produto, com performance, produção, perdas, origem, lotes dos insumos, pontos de venda, resultados dos testes de qualidade, rotas dos caminhões etc. As pranchetas foram substituídas por tablets e coletores de dados, os sistemas complexos por aplicativos mobile e os quadros foram substituídos por telões. Assim, o papel e as operações manuais foram digitalizadas.

O middleware é responsável por toda a gestão dos dados e leituras, capturando os dados diretamente das camadas de automação e do sistema de gestão (ERP) para fazer a conexão entre os eventos de qualidade, produção, armazenagem, expedição e distribuição, criando assim os registros de rastreabilidade, que por fim, são atribuídos a cada respectivo QR Code que vai impresso em cada embalagem, por meio do SIG Combibloc.

A experiência foi considerada positiva pela Languiru, além de desafiadora. A implantação dos sistemas exigiu mudanças no comportamento dos profissionais da cooperativa, o que demandou treinamentos, customizações e alinhamentos, todos realizados por equipes da SIG.

- PUBLICIDADE -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here