Coca-Cola cria experiências únicas ao cliente

As chamadas Máquinas Freestyle usam tecnologia de Internet of Packaging (IoP) para permitir que o cliente crie, na hora, um drink personalizado com ingredientes de sua preferência

Edson Perin

Quando a Coca-Cola lançou a Freestyle Machine com tela de toque, em 2009, contendo diferentes ingredientes para bebidas da Coca-Cola, a ideia era permitir que os consumidores criassem sabores personalizados. Assim, a engenhoca deixa os próprios usuários selecionarem misturas de sabores dos produtos da marca Coca-Cola, que são dispensados individualmente. Atualmente, as máquinas estão nos principais parceiros da companhia – ainda não no Brasil – e com planos de expansão.

A magia que permite manter o controle de cada máquina – que têm de estar abastecidas o tempo todo com os ingredientes em quantidade suficiente para suprir as receitas pessoais de cada consumidor – é a tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), umas das bases para a Internet of Packaging (IoP). Com tudo funcionando, as máquinas Freestyle da Coca-Cola podem criar experiências únicas para o cliente.

A Coca-Cola se dedica ao desenvolvimento de bebidas há décadas e suas máquinas Freestyle oferecem centenas de combinações com o toque de um botão, ao gosto do comprador. O sistema representa uma revolução na maneira como os refrigerantes têm sido criados. Equipadas com chips Impinj, as máquinas Coca-Cola Freestyle inovam também em procedimentos operacionais, que foram simplificados para os funcionários do serviço.

Ao toque de botões, o consumidor pode criar o seu próprio refrigerante com ingredientes da Coca-Cola

Além da experiência aprimorada do cliente, a companhia relaciona ainda o monitoramento e rastreamento automatizados de consumíveis dos dispensadores e uma análise de negócios em tempo real sobre consumo e preferência de produtos. Ou seja, permitindo ao cliente “fabricar” a sua própria Coca-Cola – ou outro refrigerante da marca – a companhia passa a entender melhor o paladar de seu cliente e também, em certa medida, os hábitos de consumo.

Ao longo dos anos, a Coca-Cola se tornou um ícone norte-americano de bebidas em todo o mundo, conhecida por criar fortes conexões com os consumidores. Assim, em 2005, a companhia decidiu dar um salto na maneira como o refrigerante é servido, criando as máquinas Freestyle.

Desde 2009, mais de 20.000 máquinas foram instaladas em restaurantes e cinemas em todo o território dos Estados Unidos, oferecendo infinitas opções de bebidas na ponta dos dedos. Máquinas de refrigerantes passaram a ser fabricadas em 1932 e, além de serem pequenos os avanços tecnológicos adicionados ao projeto original, o conceito geral permaneceu basicamente o mesmo, desde então.

A máquina Coca-Cola Freestyle foi equipada com uma tela sensível ao toque que permite que os consumidores personalizem rapidamente a bebida de sua escolha, optando por uma Sprite tradicional ou por um Diet Ginger Ale Raspberry da Seagram totalmente personalizado.

Embora a tela sensível ao toque seja uma adição interessante, a verdadeira inovação pode ser encontrada dentro da máquina. A Coca-Cola fez parceria com a Impinj para implementar a tecnologia RFID dentro da máquina. O design da revolucionária plataforma de distribuição utiliza os chips Impinj Monza e os leitores Impinj Indy SiP, que juntos fornecem a principal capacidade de RFID RAIN do sistema.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui