Avery Dennison mira varejo com impressora móvel

A nova Pathfinder 6059 portátil pode criar e aplicar etiquetas RFID em produtos para logística e varejo, em poucos segundos

Claire Swedberg

A Avery Dennison lançou um dispositivo portátil de impressão de etiquetas RFID que permite a empresas de logística e varejistas codificar, imprimir e aplicar etiquetas RFID EPC UHF aos produtos, cargas ou ativos. A Pathfinder 6059 visa a facilitar a etiquetagem RFID para varejistas, transportadoras e supermercados, além de fabricantes.

Avery Dennison Pathfinder 6059 facilita operação RFID em pequeno varejo

A empresa de etiquetas e soluções RFID também firmou uma parceria com a rede de lojas autônomas Robomart, fornecendo etiquetas RFID UHF para serem anexadas a cada item para facilitar a interação com os compradores. A solução é voltada para gerenciamento de estoque e cadeia de suprimentos, mantendo acesso rápido e conveniente aos produtos.

A Pathfinder 6059 foi construída para permitir a ativação RFID em locais como armazéns, lojas ou depósitos, de acordo com Avery Dennison. Mais de uma dúzia de empresas testam versões beta da impressora portátil nos últimos meses, diz Ryan Yost, gerente geral da Divisão de Soluções para Impressoras da Avery Dennison, e o produto já está disponível comercialmente.

Alguns clientes são varejistas que possuem etiquetas RFID provenientes de muitos fornecedores, mas exigem etiquetas para itens excepcionais, como produtos promocionais ou devolvidos. Além disso, algumas empresas recebem mercadorias de uma variedade de fontes sem tags e precisam de uma maneira de aplicá-las a baixo custo. “À medida que os casos de uso da RFID evoluem e avançam, houve alguns desafios”, diz Yost. Por exemplo: “Como um varejista pode etiquetar dentro de sua própria operação, se a maioria das soluções foi criada para alta velocidade e alto volume?”

Existem alguns dispositivos móveis destinados a codificar e imprimir etiquetas RFID, mas tendem a ser divididos em duas partes: uma para digitalizar um código de barras para criar um número RFID e a outra para imprimir a etiqueta RFID, que o usuário aplica para uma caixa ou produto. Esse processo pode ser complicado e oferece potencial para erros, como digitalizar um código de barras de um produto e, em seguida, no processo de impressão da etiqueta e removê-la da impressora, fazendo com que a etiqueta seja incompatível e aplicada ao item errado.

O dispositivo baseado em Android tem um scanner de código de barras e um leitor-codificador EPC UHF RFID e impressora. Os usuários primeiro digitalizam o código de barras em uma etiqueta de produto ou caixa e, em seguida, o dispositivo cria um número de série vinculado a esse código de barra e codifica esse número no embutimento de RFID embutido na etiqueta que está sendo impressa e anexada. O usuário pode simplesmente colocar o nariz do dispositivo contra o item e a impressora imprimirá e afixará a etiqueta.

Usando uma conexão sem fio ou Ethernet, o dispositivo encaminha os dados para o software do usuário. O sistema da impressora pode funcionar com o software da Avery Dennison, ou uma API (interface de programação de aplicativos) pode ser empregada para alavancar o próprio software do usuário. A adoção de RFID no mercado de varejo vem crescendo para atender às demandas omnicanais (ou, em inglês, omnichannel) em vestuário, observa Yost, e cada vez mais no setor de alimentos. Além disso, os fornecedores de logística estão sob pressão para que os produtos sejam entregues mais rapidamente do que nunca.

Na maioria dos aplicativos de varejo de RFID, as tags são aplicadas na fonte de fabricação, mas isso cria uma brecha para lojas e empresas menores que desejam empregar RFID, mas precisam anexar tags aos produtos após o recebimento. Muitos grandes varejistas também precisam de uma impressora de etiquetas portátil, observa Yost, já que cerca de 10 a 15% de suas mercadorias normalmente ainda chegam sem etiquetas RFID.

As impressoras RFID existentes não foram projetadas para o menor número de tags que talvez precisem ser aplicadas onde as mercadorias estão localizadas – na prateleira da loja ou na porta da doca do armazém.

Até mercearias estão adotando a tecnologia RFID para uso em aplicativos de auto-pagamento. Ao aplicar uma etiqueta RFID a cada produto, as empresas podem permitir que os compradores digitalizem um cartão de crédito ou um cartão de fidelidade em uma estação de auto-checkout, e as antenas de leitores RFID na saída capturam os itens removidos e cobram a compra no cartão de crédito do cliente.

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui